Bariloche ou Brasiloche!

Bariloche ou Brasiloche!

São Carlos de Bariloche, ou simplesmente Bariloche ou ainda “Brasiloche”, está localizada no parque nacional Nahuel Huapi, junto à Cordilheira dos Andes, na  Patagônia Argentina. Dista da capital por volta de 1600 km, é a preferida dos brasileiros que gostam de esquiar e curtir aquele friozinho sempre presente no inverno.

Mapa de Buenos Aires, Cidade Autônoma de Buenos Aires, Argentina para Bariloche, Río Negro, Argentina

Faz fronteira com o Chile e tem por volta de 130000 habitantes. Dizem os entendidos que ela tem uma das melhores pistas de esqui da América. O imenso Lago Nahuel Huapi banha a cidade e lhe dá um charme todo especial.

Língua

O idioma falado na Argentina é o espanhol, no entanto, eles entendem o “portuguol” e o fato de se ter muitos turistas brasileiros, fica relativamente fácil a comunicação.

Moeda

A moeda oficial na Argentina é o peso, mas, eles aceitam bem o dólar americano e o real, só que o troco sempre é dado em pesos!

Hospedagem

A oferta é bem grande e diversificada. Eu fiquei num bom hotel próximo do Centro Cívico e da Rua Mitre, que é a rua comercial mais importante. Na cidade fiz meus passeios a pé, bem como frequentei restaurantes e chocolaterias.

Passeios

São inúmeros, como fiquei só quatro dias, deu para conhecer os principais.

Circuito Chico

Leva esse nome por ser pequeno, mas, tem as mais bonitas paisagens que pude apreciar em Bariloche. O Cerro Campanário faz parte desse circuito e você paga 110 pesos para ir até o topo numa cadeira de dois lugares passando por um belo bosque. A vista de vários mirantes lá em cima são de tirar o fôlego! Não é o ponto mais alto de Bariloche, mas, foi onde senti o maior frio!   A diversos mirantes no caminho e a gente conhece a  Capela de San Eduardo, Hotel Llao Llao e Fábrica de Rosa Mosqueta. Eu fiz esse passeio com o Daniel, motorista de táxi, muito falante e simpático, que recomendo. Deixo aqui seu contato, pois, é de grande valia podermos contar com seus serviços profissionais: +54 9 294421-4069 whats app.

 

Cerro Otto

Foi o meu primeiro passeio em Bariloche. No Centro Cívico há um quiosque que vende o ingresso para a subida e também o leva de ônibus até o teleférico, que leva até 4 pessoas, confortavelmente, num carrinho todo fechado com vidro. A subida é grande, pois, fica a quase 1500 m de altitude. Lá tem vários mirantes e uma confeitaria giratória que é o ponto alto do passeio. É tão sutil a circulação que você só percebe quando está observando as mudanças de paisagens, visto que, ela é toda de vidro.

Rota do 7 Lagos

Se dá pela famosa Rota 234 que que liga o norte ao sul argentino. Além de apreciar a beleza dos 7 lagos, conhece-se também a Villa La Angostura e o passeio termina em San Martin de los Andes. A primeira é quase um lugarejo, mas, tem vários pontos para se esquiar. San Martin é um mimo de cidade, totalmente plana, praticamente tudo é feito com madeira na cidade, que é pequena mas tem seus encantos. Eu fui por meio de agência de turismo, mas, tem muita gente que opta por alugar um carro e fazer o passeio sozinho. Sinceramente, achei muito cansativo e não faria novamente, apesar de reconhecer a beleza do mesmo.

Cerro Catedral

A maior estação de esqui da América, tem uma boa infra estrutura de restaurantes, bares, hotéis, escola de esqui, banco, aluguel de roupas e equipamentos, parques e clubinhos para as crianças, escorregadores de neve, boias e trenós para brincar nas ladeiras, É óbvio que a atividade principal de Cerro Catedral é o esqui,tem mais de 50 pistas com diversos níveis de dificuldade. O teleférico é um dos meios de elevação. A principal atividade para fazer no Cerro Catedral, sem dúvida, é esquiar. Eu fui até lá de táxi, haja vista, ter tentado ir de ônibus, mas… depois falamos sobre isso!

Chocolaterias

É o que mais se encontra em Bariloche. A cada esquina você depara com uma ou mais. Visitei várias, mas, a que mais me agradou foi a Rapa Nui, http://chocolatesrapanui.com.ar/ um misto de Casa de Chá, Ringue de Patinação, Loja de Conveniências, Lanchonete e muuuuuiTooooo chocolate!

Restaurantes

Come-se muito bem em Bariloche, mas, tenho que comentar aqui sobre o melhor filé que já comi na vida. Foi no El Boliche do Alberto https://www.elbolichedealberto.com.ar/ . O atendimento, deixa a desejar, mas a comida compensa!

Outro lugar muito bom é um restaurante de nome Friends, esquina com a famosa Mamuska. Lá tem a melhor Pisco Sour de Bariloche! O ambiente é bem descontraído, com uma decoração toda própria, com motivos infantis, mas que combinou super bem, a comida é que não tem nada de especial.

Dicas:

Se quiser andar de ônibus, tem que comprar um cartão e carregá-lo. Há inúmeros quiosques, só que em nenhum consegui carregar o cartão que um senhor, muito atencioso e prestativo, me cedeu. Todos, procurei em uns 5 locais, que teoricamente tinham(?) como carregar!

As contas dos restaurantes, bares e casas de chá não incluem o serviço, mas, é costumeiro se dar 10% aos serviçais.

Em todos os lugares fechados há aquecimento, em alguns, até exageradamente, então, vista-se de forma que possa tirar seu casaco e não passar calor com blusas muito quentes por baixo.

Há na cidade um serviço de transporte chamado Remise. Fique atento, compare os preços com os táxis, pois, em várias ocasiões eles estavam bem mais caros.

O câmbio na cidade estava 20% mais barato do que aqui no Brasil, assim sendo, compensa cambiar por lá, ou, usar a nossa moeda.

Os táxis são uma boa opção de transporte, visto que, são relativamente baratos.

Em supermercados não dão sacos plásticos (o que concordo completamente), assim sendo, fique atento e leve uma sacola para não precisar comprar uma retornável!

Fechar Menu