Montreal

Montreal

Montreal

A cidade mais francesa fora da França! Dizem que é o segundo município de língua francesa mais populoso do mundo, atrás apenas de Paris! Também ganha em segundo lugar como a cidade mais populosa do Canadá, conta com aproximadamente 1,780 milhões de habitantes. É uma cidade vibrante, com grande respeito às diferenças, com diversas belezas dignas de se ver.

O que ver e o que não ver:

A Igreja de Notre Dame. Seu interior é lindíssimo! Compensa a visita, apesar de se ter que pagar ingresso,  no entanto, descobri sem querer, que a lateral da mesma, há uma entrada para uma Capela e ao adentrar, descubro que ela dá no interior da igreja e não se paga nada por isso. Achei no mínimo estranho, não me pareceu que estava aberta essa porta por esquecimento, mas, aí segue a dica!

A noite, há uma apresentação de efeitos de luzes, que segundo consta, é um espetáculo maravilhoso, mas, só soube disso no último dia de viagem e não consegui ir.

Place de Arts, um local muito amplo, totalmente voltado para a cultura artística e lazer. Numa espaço ao lado, há enormes tabuleiros de xadrez no chão que o povo usa mesmo para jogar. Apresentação de músicos ao ar livre, teatro que recebem todo o tipo de arte. Recomendo!

RÉSO: fui louca pra conhecer a famosa cidade subterrânea e só consegui achá-la no segundo dia! Via a indicação e adentrava e deparava com alguns comércios somente. Fiquei indignada, perguntei para diversas pessoas, inclusive para os seguranças do metrô onde estava essa famosa “cidade” e pasmem, parecia que eu estava perguntando em chinês, ninguém conseguia saber! Fui me virando e acabei por encontrar! Na verdade, é um shopping subterrâneo, que tem diversas entradas, acompanhando as linhas de metrô. Não está em todas as estações de metrô e tem umas que o aspecto é mais bonita e charmosa que outra. Na Place de Arts tem uma entrada que tem um excelente comércio!

Resultado de imagem para foto do reso em montreal

foto retirada da Internet de propriedade de Dicas do Canadá

Oratório de Saint Joseph: uma igreja suntuosa, com arquitetura muito bonita, mas, não tive pique para entrar. São muitos degraus e eu estava estafada quando cheguei. Mas, sei que há no complexo todo, escadas rolantes, assim sendo, penso que compense a visita!

Resultado de imagem para Oratório de São José                                                        Foto:  Cultura Mix

Old Port: bem bonito, cuidado, com uma grande área de lazer com arborismo, brinquedos diversos, uma grande roda gigante, que achei caro o ingresso, umas poucas lojinhas, mas, nada além disso, se não der prá ir, não perderá quase nada!

Chinatown: é um bairro, como o próprio nome diz, habitado por maioria oriental. Tem uma boa infra estrutura comercial. Para quem conhece o Bairro Japonês em São Paulo, não fica nem um pouco surpresa com esse!

Gay Village: um bairro colorido, alegre, cheio de bares e bom comércio. Sem saber, acabei me hospedando lá e gostei bastante. As ruas são decoradas, os comércios todos levam a bandeira GLBT. Circulei lá a noite e é um bairro perfeitamente seguro. O que vi muito, mas, não só lá e sim em toda Montreal, é o pessoal fumando maconha pelas ruas. Vale a visita!

Cassino de Montreal: acho que foi uma das coisas mais bonitas que vi. Muito grande, considerado o maior do Canadá, com uma arquitetura moderna e bonita, a noite fica ainda mais belo com os jogos de luzes. Situa-se  na Ilha de Notre Dame, no bairro de Ville-Marie. De fácil acesso, tem ônibus do cassino que leva gratuitamente, mas, de transporte público é super fácil chegar. Merece uma visita, especialmente à noite! Recomendo!

Museus: não visitei nenhum, mas Montreal Science Centre que fica no Old Port , a Biosfera de Montreal que fica no caminho do cassino e o Museu de Belas Artes, vale a visita nem que seja para ver a arquitetura dos prédios.

Resultado de imagem para chinatown de montreal museu das belas artes de montreal   Foto do Tripadvisor

Monte Royal: situa-se dentro do Parque Monte Royal, que tem uma ampla área verde, várias quadras de tênis. Um bom lugar para o lazer. O bairro é bastante simpático principalmente pelas suas residências que tem uma arquitetura muito charmosa. Vá só se o tempo estiver sobrando.

Quanto tempo ficar? 

Se é pra conhecer os pontos principais e você tem fôlego, dois dias dão, mas, se quiser fazer os passeios com mais calma, três dias é mais do que suficiente para conhecer a cidade.

Como se locomover?

Não aconselho alugar carro, Montreal tem tudo de uma grande cidade, ou seja, dificuldade para estacionar e trânsito. Eu sempre indico, embora nem sempre faço uso, do Hop on hop off, que vem a ser o ônibus de turismo que passa nos principais pontos turísticos, tem explicação via áudio (nem sempre tem em português), e você pode descer nos lugares e subir quantas vezes lhe apetecer. Fora isso, se não quiser fazer uso de táxi e Uber, o transporte público funciona bem com metrô, trem e ônibus. Eu comprei um cartão por 6 dólar canadense e paguei para usar durante uma semana. Pra mim compensou, pois, apesar de não ter ficado 7 dias lá, andei bastante de transporte público.

Onde se hospedar?

Por ser uma cidade grande, tem muitos bairros que compensa a hospedagem, pois, invariavelmente, você terá de usar transporte, mas, sempre indico o centro da cidade, que nos países de primeiro mundo, tem outra concepção, é seguro! Como já disse, fiquei via AirBnB, num apartamento no Gay Village. Bairro muito bem servido por metrôs e passível de se ir a pé para a cidade, fiz isso mais de uma vez!

Dica:

Não procure Outlet em Montreal. As informações que achei em alguns blogs, estavam antigas. Tentei ir e andei sob um sol escaldante por mais de hora e por fim, o Outlet Premium já não existia mais, FECHOU!!!!

Leia meu post sobre Toronto: https://soviajando.com.br/torontobela-metropole/

 

Fechar Menu